sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

O que eu fiz em 10 anos?

Como disse na postagem anterior, vou apresentar a minha retrospectiva. Pessoal, subjetiva e emocional. Alguém poderá perguntar se não estarei omitindo ou alterando algum fato. Então eu argumento que serei imparcial o máximo que puder, porém, ao dizer isso, eu estarei sendo subjetiva da mesma forma, pois sempre que falamos de nós, falamos do que nos valoriza, exalta, eleva. Além disso, ao elegermos um tipo de discurso, já nos posicionando, conscientemente ou não. Mas deixemos tudo de lado e vamos à retrospectiva do ano: O que eu fiz nesta década!!!

2000 é um ano importante, porque foi neste ano que começo a graduação de Letras. O sonho mais sonhado se realiza: fazer faculdade. E melhor, vou estudar o que eu quero e na escola que quero. Nos anos seguintes, de 2001 a 2003, tudo gira em torno da graduação. Uma época sofrida, mas ao mesmo tempo valiosa e essencial, já que foi durante o curso que descobri e aprendi inúmeras coisas que me seriam primordiais hoje.

Por exemplo, em 2003, apresentei-me em dois congressos, sendo que nem tinha terminado a faculdade. É a paixão pelo mundo acadêmico tomando conta! No mesmo ano finalizo o meu TCC (trabalho de conclusão) sobre o conto “O ovo e a galinha”, de Clarice Lispector, um texto enigmático e ao mesmo tempo, fascinante. Foi também neste ano que iniciei a minha carreira: faço o concurso público do Estado e apesar da correria da graduação, sou aprovada e entro para um seleto grupo (ou seria desprezado grupo?): o de professores da rede pública do Estado de São Paulo. Antes disso, torno-me professora eventual em 2004 e descubro que professor é um sofredor, que rima com... Vamos para 2005.

Em 2005, descubro que as letras latinas americanas vão além de Borges e Córtazar. Conheço César Aira e sua obra. Descubro ainda que a Literatura Hispano Americana tem muita coisa boa, mas falta divulgação ou espaço no mercado brasileiro? Não importa qual é o problema, a questão é que há um universo maravilhoso além das fronteiras brasileiras.

Mas é em 2006 que redescubro que a Literatura Brasileira não acaba na terceira geração modernista. Pelo contrário, ela está tão viva quanto eu ou você, caro leitor. Desse reencontro, firma-se o desejo, consciente, de trabalhar e de estudar mais com a Literatura Brasileira contemporânea do que com a Argentina. Porém, surge também uma dúvida mais do que cruel: o que estudar? O que ler? Por que obra se apaixonar? Só o tempo dirá!

No mesmo ano, entra no ar o Palavra Escrita. Paixão declarada desta que vos fala, que surge sob uma desculpa simplória (exercício de escrita), ganha um pequeno, mas fiel público. Apesar das dificuldades, porque escrever não tem nada de simplório; adoro escrever, adoro pensar nos textos que serão postados, adoro imaginar que, de alguma forma, materializo para prosperidade minha opinião, minha imaginação. Enfim, escrever é minha grande paixão e será sempre.

Em 2007, tudo muda. E literalmente. Depois de muito tempo, conquisto outro sonho: a casa própria. Não é, na verdade, uma casa, é um apartamento; contudo, ele é meu. E marca o inicio de outras coisas boas que iram acontecer nos próximos anos. Como as minhas viagens!

Ao longo da década, mesmo com intervalos, tomei gosto por viajar. Em 2006, fui para Minas Gerais e suas lindas e históricas cidades. Em 2008, fui para Lençóis Maranhenses e vejo que o paraíso é aqui na Terra mesmo. Em 2009, Natal é literalmente uma festa de cores e sons! Desde então tento viajar, mesmo que seja para um lugar perto, como Campos Jordão, mas viajo sempre, para salvar o corpo, a alma e a mente.

E eis que chega 2009. Neste ano dois fatos importantes ocorrerem. O primeiro foi a chegada da Livia. Minha sobrinha querida e amada! Minha outra grande paixão. A segunda foi a publicação do site Prosa em Verso, no qual eu tinha uma coluna sobre Literatura chamada Conversa Metafórica!, com ponto de exclamação mesmo! Levada pela Tatiana Monteiro, editora e proprietária do Prosa em Verso, eu realizei um outro sonho: escrever profissionalmente. De repente me vi como uma escritora de verdade, que escrevia de verdade e que publicava de verdade. A paixão ganhou força, consistência e vida!

Mas infelizmente o sonho transformou-se! Em abril de 2010, Tatiana Monteiro desencarnou e voltou ao Plano Superior. Ela está bem, tenho certeza disso; contudo o site e a coluna pararam! Poderia dizer, deixaram de existir, mas a verdade é que tudo parou! E continua parado! Pode ser que em 2011, um deles volte. Quem sabe! O futuro é tão incerto, e só nos resta esperar.

E é assim que pretendo passar a virada do ano: ESPERANDO. Esperando por mais um aniversário da Livia, que em 2010 completou 1 ano; e do Palavra Escrita. Esperando a próxima viagem para algum lugar lindo do Brasil. Esperando o inicio das aulas e a chegada de mais alunos, ansiosos por conhecimento (será?). Esperando que 2011 seja o início de um ano não só novo e feliz, mas seja o começo de uma década melhor para todos nós!

Feliz Ano Novo! Feliz Década Nova!

2 comentários:

Lucya Rico disse...

Muito bom esse artigo Cláudia, parabéns! Muito bem escrito e seu entusiasmo pela vida está evidente. Beijão, querida!

Cláudia Dans disse...

oi Lúcia!

Obrigada pela visita e pelos elogios! :D

Beijos!

Feliz Aniversário!

Até o Google sabe que hoje é dia de festa! Feliz Aniversário! PS: A animação só aparece para mim, já que eu sou a aniversar...