terça-feira, 8 de setembro de 2009

Minhas Mãos seguram as Suas!

Só agora, 5 horas depois de sua chegada é que consigo escrever. E escrevo repleta de felicidade! Felicidade esta que, ao contrário de outras ocasiões, interfere como ninguém na escrita deste texto.

Porém, hoje não estou incomodada com isso. A felicidade que sinto é tão poderosa, tão plena, que não ficarei triste se não escrever! Mas ainda sim, quero escrever. Entretanto, devo confessar que me faltam palavras. Na verdade, não sei exatamente o que te dizer. Claro que poderia conta-lhe como é o mundo, em seus mínimos detalhes. Ou relata-lhe os principais fatos que ocorreram hoje, como, a chuva que cai sem parar. Ou até mesmo, dizer-lhe que...

Não seria uma boa ideia. Deixemos para um outro dia, para uma outra ocasião.

Vou lhe escrever uma outra história. Não será uma história. Será um poema. Você gosta de poema? Poema é um texto rimado, primo distante da música. Geralmente, ele é lido em voz alta, mas é possível lê-lo em silêncio.

"Mãos dadas", Carlos Drummond de Andrade*

Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,

não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,
não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.

O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes, a vida presente.


Assim que o li, percebi o quando esse poema tinha a ver com você. E depois que a vi hoje no hospital, com as suas mãos agitadas tentando segurar o desconhecido, notei que passado e futuro não importam mesmo. O importante, agora, é o presente. Presente que hoje ganhou mais cor, mais vida e felicidade.

Livia, que suas mãos alcancem o presente, o futuro e, principalmente, a felicidade!
*
*
*
*
*
*

4 comentários:

Tatiana Monteiro disse...

Cláudia, imagino toda sua felicidade!
Tão lindo você descrevendo-a com os bracinhos agitados querendo pegar o desconhecido!
Acho que ela já nasceu gostando de poema, já chegou ao mundo com a titia coruja deixando tão belo texto.
E que os bracinhos agitados alcancem a felicidade desde cedo!
Beijos!

Cláudia Dans disse...

oi Tatiana!

Obrigada pelo carinho! E espero mesmo que ela goste de poesia e da que escolhi!!!! rsrsr

beijos!!!

Anônimo disse...

Claudinha!
Que delicado, quanta sensibilidade!
Te admiro muito!
Que Deus abençõe este novo ser, que venha tornar o mundo melhor, que ela seja completamente feliz!
Porque, amada ela já é e muito, não?
PS: deixo aqui meus e-mails.
rcmanuela16@gmail.com
rccmanu@hotmail.com

Beijos, até o próximo post, Tiaaa

Cláudia Dans disse...

Manú, obrigada pela visita e pela carinho sempre constante!!! E eu também te admiro muuuuuuuuito!!!


beijos!

Feliz Aniversário!

Até o Google sabe que hoje é dia de festa! Feliz Aniversário! PS: A animação só aparece para mim, já que eu sou a aniversar...