quinta-feira, 2 de maio de 2013

A felicidade é momentânea, mas a sensação é eterna!

Quantas palavras são necessárias para descrever a felicidade que sentimos após conquistarmos nossos objetivos?
 
Poderia utilizar uma, duas, três... enfim, poderia usar milhões, bilhões, trilhões, mas nenhuma descreveria com precisão a felicidade que senti ao ver que a palestra que realizei hoje deu certo.
 
No inicio do ano, fui convidada para ministrar uma palestra na ETEC Itaquaquecetuba, durante a Semana Paulo Freire. O tema da semana seria Língua Portuguesa. Nem precisa dizer que aceitei na mesma hora!
 
Seria uma experiência nova e diferente do que costumo fazer. E realmente foi diferente e, principalmente, prazeroso. É muito bom ensinar, e o faço com grande prazer e paixão. Obviamente que lecionar, ultimamente, não tem sido fácil ou tranquilo, e às vezes bate uma vontade de largar tudo...
 
E ir para uma ilha deserta, levando apenas os meus livros e algumas (ou várias) barras de chocolate! Seria uma vida tão boa!!!!
 
Enquanto isso não acontece, sigo a linha feita de giz que traço todos os dias quanto vou lecionar. Detalhe importante: eu não dou aula. EU LECIONO! E com muito orgulho e prazer, ainda que digam que eu seja má formada! (Na verdade, sou muito BEM FORMADA, seu secretário!!!).
 
 
 
 
Mas e a felicidade? Pergunta o leitor.
 
Ela está aqui, no coração, que se aquece ao saber que ainda há pessoas interessadas em aprender. E isso já ajuda, um pouco!