quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O livro que fez a minha cabeça!

Um mês depois, volto para apresentar a pergunta feita pelo site Educar para Crescer, para comemorar o Dia Nacional do Livro. Demorei um pouco (pouco para não dizer muito!) para escolher o livro que fez a minha cabeça. Na verdade, muitos livros fizerem e continuam a fez a minha cabeça. Poderia postar uma lista enooooooooooooooooorme, mas, provavelmente, um poste não seria suficiente.


E que livro fez a sua cabeça, pergunta o caríssimo leitor deste blog. Eis a imagem e, claro, o comentário.




A primeira vez que li o livro Contos de Assombração (Ática), eu estava no 2º ano do ensino médio, antigo segundo grau. Eu o descobri na biblioteca da escola e foi paixão a primeira leitura. Devorei todos os onze contos que compõem o livro, sendo que cada conto vem de um país da América Latina. Apesar das origens distintas, há dois pontos em comum: cultura popular e medo.

Cada narrativa apresenta uma história repleta de elementos de oralidade, de lendas indígenas, de espíritos da floresta, da noite e da morte. É a oportunidade de conhecer e de se assustar, também, com histórias que argentinos, nicaragüenses, colombianos, brasileiros, entre outros latinos-americanos, contaram e ouviram na calada da noite, à luz de vela!

Dentre todas as narrativas do livro, tem uma que adoro, que me fez ir atrás da obra na nos sebos de São Paulo: Maria Angula, do Equador. Conto da tradição oral equatoriana, relatado por María Gómez, uma senhora com mais de setenta anos, a Jorge Renán de La Torre; o texto é delicioso, não porque fala de comida, mas porque me faz voltar no tempo e reviver, ainda que só na imaginação, o ritual de ouvir histórias, ainda que sejam histórias de assustar!

E para que você, caro leitor, não fique muito curioso, (espero que fique muito curioso e vá ler o livro!), aqui vai uma versão do conto, adaptada pela TV México, em espanhol. ¡Maravilloso!