quinta-feira, 31 de agosto de 2006

31 de agosto: DIA INTERNACIONAL DO BLOG.

Blogueiros e blogueiras deste mundão veio sem porteira que é a internet... PARABÉNS!!!!! Hoje é o seu dia!!!! Na realidade, hoje é o Dia Internacional do Blog!

Segundo a Wikipédia,
Blog é uma “página da Web cujas atualizações (chamadas posts) são organizadas cronologicamente (como um histórico ou diário). Estes posts podem ou não pertencer ao mesmo gênero de escrita, se referir ao mesmo assunto ou à mesma pessoa. A maioria dos blogs são miscelâneas onde os blogueiros escrevem com total liberdade”.

Ou seja, o blog é um espaço para se escrever, ordenadamente ou não, e com total liberdade! E o espírito é este: escreve com liberdade. Escrever livre, leve e solto!!! E i
ndependente do assunto, do tema, da questão, enfim, da ideia que se post no blog, a liberdade deve ser o fio condutor, a linha a se seguir.

Em meus mergulhos virtuais no mar de blogs que povoam a internet, noto que a liberdade de expressão é peça chave e busca constante, especialmente naqueles em que a noticia é o astro principal. Seria incoerente se acontecesse ao contrário, uma vez que a tônica do jornalismo é a liberdade de falar, de escrever, de expressar. Admiro aqueles que buscam no dia-a-dia não só a liberdade, mas também a verdade, ou pelo uma menos manipulada.

Num mundo excessivamente, exageradamente, entre outros “mente”; repleto de informações é natural se perder ou se afogar em meio a tanta notícia, novidade, etc.. Porém, podemos contar com pequenos portos seguros, onde a liberdade se faz presente e atuante, pois sem ela não há opinião, escolha, reflexão, mudança.

Que a molecada blogueira deste mundão veio da internet continue escrevendo... livre, leve e solto! Nós, seus leitores, agradecemos! E já
 que a Literatura é o foco principal neste blog, nada melhor que terminar esta atualização com palavras altamente poéticas!


Escritura, Octávo Paz*


Yo dibujo estas letras
como el día dibuja sus imágenes
y sopla sobre ellas y no vuelve





E como hoje é dia do blog, é melhor indicar um também, não é Marcelo Tas? :)

terça-feira, 29 de agosto de 2006

E o desejo de aniversário?????


Todo bom aniversário que se preste, precisa de bolo, velas e, principalmente, de desejo.

E sendo eu a criadora deste blog aniversariante, só tenho um desejo: escrever sempre!!!

Completamos um mês!!!!

Para quem não sabe, este blog completou no dia 28 de agosto um mês no ar.

Provavelmente vão dizer: Feliz Aniversário! Parabéns! Felicidades! etc, etc, etc, etc...

Devo confessar e confesso tranquilamente, (oh sinceridade crônica!!!) que neste primeiro mês de vida, as coisas saíram, mais ou menos, como eu gostaria. Na realidade, as coisas saíram com atraso, mas saíram. Inclua também, além das atualizações, a escrivinhação (existe esta palavra???) dos textos que alimentaram (bonito não?) este pequeno espaço reflexivo, com ares literários!

Porém, apesar dos inúmeros previstos e imprevistos, estou feliz! O Palavra Escrita está crescendo, se desenvolvendo plenamente. Mesmo com as poucas visitas (o contador deve estar quebrado!!!), os visitantes são sempre unânimes: O blog está lindo, legal, bacana, chique, bonito, etc, etc, etc.. Enfim, só elogios e todos altamente positivos!

É maravilhoso saber que este trabalho duro, o de escrever quase que diariamente, é e está sendo reconhecido. Porque, no fundo, todo mundo escreve para ser lido! E o grande barato, sem sombra de duvida, é escrever, para depois ser lido, comentado, analisado, estudado, etc, etc, etc, etc, etc...

terça-feira, 15 de agosto de 2006

Entre um texto e outro, um pequeno espaço temporal

O último texto foi postado dia 03 de agosto. Hoje é dia... 15 de agosto! O que a falta de inspiração não faz!!!

Inspiração? Ou respiração? Hum.... não sei, mas creio que isto está mais pra falta de coragem, conhecida popularmente como PREGUIÇA!!!

Palavra forte, não? Mas ela resume perfeitamente a situação desta que lhes fala! E às vezes, torna-se essencial falar a verdade! Ou, no caso do blog, escrever a verdade. E já que a verdade surgiu, assim tão de repente, alguém pode perguntar: quando teremos palavra nova no Palavra Escrita?

Então eu, a autora deste blog respondo, mas não antes de um llllllllllllllllllllooooooooooooonnnnnnnnnnngggggggggggooooooooooo pensar, que dentro em breve haverá palavras. Agora se serão novas, isso já é outra história! rsrsrsrsrs

Depois de algumas palavras mais ou menos, nada melhor que terminar o dia e começar a noite, ou começar dia e terminar a noite lendo um poema verdadeiramente novo, caso você nunca o tenha lido!


Verdade, Carlos Drummond de Andrade*


A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.



quinta-feira, 3 de agosto de 2006

Um pouco de magia para alegrar a vida!

Certas palavras*

Certas palavras não podem ser ditas
em qualquer lugar e hora qualquer.
Estritamente reservadas
para companheiros de confiança,
devem ser sacralmente pronunciadas
em tom muito especial
lá onde a polícia dos adultos
não adivinha nem alcança.

Entretanto são palavras simples:
definem
partes do corpo, movimentos, atos
do viver que só os grandes se permitem
e a nós é defendido por sentença
dos séculos.

E tudo é proibido. Então, falamos.


A palavra*

Já não quero dicionários
consultados em vão.
Quero só a palavra
que nunca estará neles
nem se pode inventar.

Que resumiria o mundo
e o substituiria.

Mais sol do que o sol,
dentro da qual vivêssemos
todos em comunhão,
mudos,
saboreando-a.


A palavra mágica*

Certa palavra dorme na sombra
de um livro raro.
Como desencantá-la?
É a senha da vida
a senha do mundo.
Vou procurá-la.

Vou procurá-la a vida inteira
no mundo todo.
Se tarda o encontro, se não a encontro,
não desanimo,
procuro sempre.

Procuro sempre, e minha procura
ficará sendo
minha palavra.



Os poemas acima são de Carlos Drummond de Andrade, que soube como ninguém usar as palavras!



Vou escrever, escrever, escrever, escrever...

Quando me perguntam, em especial meus alegres e falantes alunos, por que optei por Letras sempre digo que o pré-requisito do curso era ler e escrever, e já que gostava de fazer os dois, pensei que seria interessante unir o útil ao agradável!

Uma vez lá, descobri que realmente gostava e ainda gosto, muitíssimo, de ler e de escrever. Na realidade, foi mais do que isso! Descobri também que o meu lugar era entre livros, histórias, narrativas, contos, poesias, histórias em quadrinhos... Enfim, onde houvesse palavra meu lugar era ali!


Escrever sobre o quê!


PALAVRA ESCRITA, como já comentei, surgiu após uma visita ao blog de Ricardo Miyake e de um antigo desejo de escrever. Ou seja, nada se cria tudo se copia! Porém, mais do que influência, positiva, diga se de passagem; sempre cobicei escrever e publicar. Não importava muito o tema, escrever era algo presente e recorrente na minha vida!

Entretanto, após uma temporada mergulhada num apaixonante mar de letrinhas, sem direito a salva-vidas, torna-se inevitável não escrever sobre Literatura e leitura; sobre livros e quadrinhos; sobre internet, cinema; pequenas e grandes histórias, ficções de vida, realizações de arte!

Na verdade, a vida só ganha vida quando esta é materializada por meio da palavra. Seja ela falada ou escrita, a palavra é a intermediação entre o sonho e a realidade, entre sutil e o explicito, entre o dito e o não dito.

Assim, caro leitor, este espaço virtual será um local para falar e, principalmente, para escrever sobre palavras magicamente manipuladas, que uma vez lidas nos transforma em seres altamente perigosos, pois ao mesmo tempo em que sonhamos, também criticamos!