sexta-feira, 19 de junho de 2009

A paródia e o Original!

"No meio da folha", Cláudia Dans

No meio da folha tinha um vazio
tinha um vazio no meio da folha
tinha um vazio
no meio da folha tinha um vazio.

Sempre me lembrarei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão cansadas.

Sempre me lembrarei que no meio da folha
tinha um vazio

Tinha um vazio no meio da folha
no meio da folha tinha um vazio.





"No meio do caminho", Carlos Drummond de Andrade*

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.

Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra

Tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.

2 comentários:

Querido Blog, disse...

Eu recitei esse poema com meu amigo, um dia quando tropeçamos numa pedra.
Não sei porque mas, ultimamente minhas folhas andam muito brancas. Tenho folhas brancas, belos pensamentos e todas as palavras do mundo.

Cláudia Dans disse...

Nossa Manu!

que lindas palavras!

beijos!

Vazio

Após o incêndio, não resta nada. Não sobrou nada. Não há mais nada. A História e as histórias que o Museu Nacional, Quinta da Boa Vista, no ...