quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Quero escrever, mas não sei o quê!

Gostaria de escrever! Mas falta inspiração? Animação? Dedicação? Ou falta tudo?

Não sei explicar o porquê disso. Nem sei dizer por que acontece isso. Porém, sei que escrever não tem sido uma atividade constante. Pelo contrário, ando bastante desanimada. Escrever, assim como ler, tornou-se uma tarefa árdua. Intensamente árdua.

Meses atrás, imaginei que depois de um pequeno hiato, conseguiria retornar à escrita e à leitura. Enganei-me. Mal voltei aos textos, parei novamente. E apesar da obrigação, já que o certo seria atualizar o blog, sempre; sinto-me vazia. Por que atualizar um blog que ninguém quase lê e que não acrescenta nada de novo à ordem das coisas?

Às vezes penso que criei o Palavra Escrita só para fazer parte do grupo de pessoas inteligentes que sempre tem algo a dizer! Entretanto, não me sinto nem inteligente e nem tenho nada a dizer.

Meu trabalho também não anda muito bem. Na verdade, ele se transformou na coisa mais chata? Difícil? Desvalorizada? E desprestigiada que existe? Pergunto-me o que estou fazendo ali! Já que não muda nada fazê-lo! Será que mudaria algo se eu não o fizesse? Uma bola de cristal seria de grande ajuda agora!

Posso até estar exagerando, mas a questão é que estou bastante cansada. Cansada demais para tentar reagir. Gostaria de sair dessa situação tão cômoda, contudo falta-me coragem, força e vontade. E por mais que os outros digam “Não desanima! Animo! Você consegue!”, a decisão de mudar tudo está em mim.

Mas como se consegue mudar algo se a vontade maior é de ficar parado, vendo a vida passar? Se alguém souber a resposta, por favor, passe-a, pois aqui, deste lado, eu não sei que caminho seguir!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

E o Nobel de Literatura vai para... Mario Vargas Llosa!!!!!

Hoje, em Estocomo, a Academia Sueca anunciou o vencedor do Prêmio Nobel de Literatura 2010: o escritor peruano Mario Vargas Llosa.

Autor de obras como A casa verde (1966), A guerra do fim do mundo (1981), Lituma nos Andes (1993), Cartas a um jovem escritor (1997), Travessuras da menina má (2006), entre outros. Em novembro, sai em todos os países de língua espanhola seu novo livro: El sueño del Celta.


Nessa nova obra, o escritor peruano narra a vida do irlandês Roger Casement (1864-1916), diplomata britânico que denunciou os abusos cometidos durante a colonização no Congo belga e posteriormente no Peru, no processo de extração da borracha do Amazonas. Segundo o site Entretenimento, do portal UOL, Llosa descobri Casement, homossexual que também lutou pela independência da Irlanda e acabou condenado a morte, lendo uma biografia do escritor britânico Joseph Conrad.

E é por causa de histórias assim, que o peruano ganhou o Nobel deste ano. De acordo com o comitê sueco, Llosa recebeu o prêmio "por sua cartografia de estruturas de poder e suas imagens vigorosas sobre a resistência, revolta e derrota individual". Definitivamente, uma grande vitória! E também uma boa indicação para se descobri a Literatura Hispano Americana! (Eu recomendo!)

Ano passado, o Nobel de Literatura foi para alemã Herta Mueller, cuja obra fala sobre a paisagem dos desfavorecidos.