quarta-feira, 9 de julho de 2014

Uma Copa de gosto tão amargo!

A Copa do Mundo 2014 aconteceu, apesar dos problemas de conhecimento público. Na verdade, ela ainda está acontecendo! Hoje (08 de julho) foi a semifinal Brasil e Alemanha!

Obviamente eu torcia pelo Brasil, sou brasileira e embora não entenda muito de futebol, pensei que a seleção passaria pelos alemães. Segundo os especialistas, tínhamos condições, desde que jogássemos focados e escalássemos os jogadores certos. Além disso, nos outros jogos da Alemanha, na primeira fase, eles não foram tão bem como hoje. É só lembrar os jogos contra Gana e Argélia. E contra o Chile! Por pouco, mas por pouco mesmo, os alemães não voltavam para casa. Ou seja, tínhamos condições de vencê-los*!



Então veio o jogo e perdemos! Uma derrota que poderia ter acontecido no jogo contra o Chile! Mas passamos! No jogo seguinte, contra Colômbia, foi, com certeza, a melhor exibição da seleção canarinho. Porém, no jogo seguinte não teríamos Tiago Silva, fora por causa do segundo cartão amarelo; e de Neymar contundido depois da joelhada que levou do jogador colombiano.

Então veio a Alemanha e levamos 7 gols, sendo que 5 só no primeiro tempo! Um vexame! Um massacre! Não tínhamos meio campo, defesa ou ataque*! Enfim, não tínhamos time naquele momento (Será que antes tínhamos?). Baseando-se apenas no primeiro tempo, vi uma seleção perdida, que não sabia bem o que era para fazer. E mesmo no segundo tempo, que vi superficialmente, a seleção continuou apática, e mesmo tentando uma reação, ela se mostrou insuficiente!




Antes da postagem deste texto, li vários textos que apontavam o problema do meio campo e, no caso de hoje, da escalação, além de outros problemas como a pressão psicológica. Como torcedora fico me perguntando: mas este time não foi o mesmo que ganhou a Copa das Confederações? Sim, foi o mesmo. Então por que não ganhou? Sinto um gosto amargo, que piora ao me lembrar do Brasil 1, Alemanha 7.

Confesso que estou triste, gostaria de ver a Seleção ganhar o HEXA. Seis vezes campeão da Copa do Mundo de Futebol! Mas não ganhamos. Perdemos. Existia esse risco. Todos correm esse risco quando se participa de uma competição. Um ganha, outro perde. A regra é clara!




Entretanto, essa derrota releva uma outra questão: a preparação. Durante o jogo e mesmo depois, li na internet que a seleção alemã estava se preparando para esta copa desde 2006. O que significa isso: eles treinaram, preparam-se para chegar em 2014 prontos para enfrentar os outros times. (Vale lembrar que eles passaram por alguns percalços no início da Copa e só jogaram bem hoje, no Minerão.) E a seleção brasileira teve este preparo? Não. E se teve não foi suficiente para o grupo do técnico Joachim Löw.

Como comentou minha amiga Júnia Vieira, esta derrota serve não só para o esporte, mas também para a vida. Só se alcança a vitória quanto se tem preparo, planejamento, seriedade. Não estou dizendo que os jogadores não foram sérios, mas faltou planejamento. 

A questão é que, apesar do resultado horroroso, a Copa do Mundo 2014 deu certo, como disse José Trajano, no Blog do José Trajano, da ESPN. Estamos tristes, pois queríamos ganhar a Copa, mas isto não aconteceu. Quem sabe em 2018, na Rússia não conquistamos o Hexa. E quem sabe, a partir desta derrota, nós não deixamos de ser patriota apenas em jogo da seleção e passamos a ser mais determinados em outros momentos.


Ou seja, se quisermos vencer a próxima copa, então vamos nos preparar. Se quisermos empregos melhores, temos que nos preparar, buscar os melhores cursos, as melhores escolas. Se quisermos um país melhor social e politicamente, temos que escolher os melhores representantes que possam realizar tais mudanças. Porém, temos que cobrar, fiscalizar, enfim, temos que marcar em cima, caso contrário, o resultado será pior que o do jogo da seleção.

Vitórias só são alcançadas quando se prepara para isto. E se aconteceu algum erro, o importante é utilizar essa falha como oportunidade de rever o que foi feito, mudar e continuar o trabalho. E ainda que doa perder em casa, não podemos ignorar o que já conquistamos. Mas se quisermos continuar a conquistar vitórias no futebol e, principalmente, na vida, precisamos nos preparar, pois talento nós já temos, só falta foco, determinação, seriedade e honestidade.






*Agradeço à Beatriz Santana, amiga querida, e ao Renato Dans, meu querido irmão, por suas impressões e comentários. E também à Júnia Vieira.

4 comentários:

Lucya Koseki disse...

Gostei Cláudia. Texto muito bem escrito, estruturado e fundamentado.

Cláudia Dans disse...

Oi Lúcia!

Obrigada pelo elogio. Espero que a minha visão de jogo (rsrsrs) tenha sido boa!

beijos

Beatriz Santana disse...

Oi, Clau! Gostei do texto! Perdemos merecidamente para a Alemanha. Lamento apenas ter perdido de maneira tão vexatória. Não tínhamos time para ter chegado às quartas, mas chegamos... (no sufoco, mas chegamos!). Torcer para ganhar da Alemanha, torcemos. Mas não dá para esquecer que a maioria dos jogadores da Alemanha estão juntos desde 2006, com a mesma comissão técnica, ganhando ou perdendo. Os europeus descobriram com a gente que futebol é entrosamento, enquanto nós nos esquecemos. Em oito anos, enquanto o time alemão se entrosava, os cartolas, de posse dos seus egos e interesses, juntamente com a imprensa brasileira, a sabe tudo, desestruturavam uma seleção que começava a surgir. Excomungaram o Dunga, passaram a rasteira no Mano, levaram um não do Muricy, e aí colocaram a frente da seleção um treinador - campeão do mundo, (no passado!) - que beirava a segunda divisão do futebol brasileiro. Eu disse segunda divisão!! Ganhou a copa das confederações, ganhou. Só que o trabalho de base das copas das confederações não foi dele. Foi do Mano Menezes, demitido dois dias após conquistar o Superclássico das Américas!O Felipão precisa de "refresh", o campeonato brasileiro precisa olhar para o futebol do mundo e esquecer o umbigo, a imprensa precisa deixar de ser imediatista e passar a ser comprometida. E nós, precisamos deixar de ser "brasileiros com muito orgulho e muito amor" só de quatro em quatro anos para sermos Brasileiros todos os dias e, principalmente, nas urnas. Afinal, "[..]se quisermos continuar a conquistar vitórias no futebol e, principalmente, na vida, precisamos nos preparar, pois talento nós já temos, só falta foco, determinação, seriedade e honestidade." :-)

Cláudia Dans disse...

Oi Bia!

Você foi perfeita no seu comentário! Se chegamos a onde chegamos na copa foi por pura sorte. Já a Alemanha trabalhou serio para ganhar! E acho que nos falta isso: seriedade, além da dedicação e do compromisso!

beijos!

Vazio

Após o incêndio, não resta nada. Não sobrou nada. Não há mais nada. A História e as histórias que o Museu Nacional, Quinta da Boa Vista, no ...