segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Leio um poema enquanto espero

“O Relógio” Vinícius De Moraes*

Passa, tempo, tic-tac
Tic-tac, passa, hora
Chega logo, tic-tac
Tic-tac, e vai-te embora
Passa, tempo
Bem depressa
Não atrasa
Não demora
Que já estou
Muito cansado
Já perdi
Toda a alegria
De fazer
Meu tic-tac
Dia e noite
Noite e dia
Tic-tac
Tic-tac
Tic-tac . . .

*
*
*
*
*
*
* Jornal da Poesia

Nenhum comentário:

E agora?

Primeiro o choro, o desespero. O que esperar do futuro que parece tão nebuloso? De repente, porém, a raiva vem. Palavrões vêm aos montes! Al...