domingo, 3 de setembro de 2006

A palavra, a foto e o silêncio

Esta é a foto.
Desde sua publicação no blog
<http://www.alcinea.zip.net>, a jornalista Alcinéa Cavalcante foi proibida de exercer não só seu trabalho, como também a sua liberdade de expressão, sua palavra. Apesar do silêncio imposto judicialmente, Alcinéa não se calou. E nem irá se calar.

Um dito popular diz que “uma foto vale mais que mil palavras”. Mas, uma foto só substitui a palavra, quando estas são insuficientes para descrever uma cena em questão. No caso da foto acima, temos que concordar que realmente ela vale mais que mil palavras. Tanto que por causa dela, o candidato ao Senado por Amapá, José Sarney tirou a palavra da jornalista.

Entretanto, engana-se quem pensa que a foto acima substituirá e, principalmente, calará a palavra. Na verdade, uma imagem tem sua força expressiva associada à visão. Por mais que se busquem as palavras certas, uma foto, uma pintura, um desenho, uma charge provoca mais reações, pois o impacto visual é imediato.

Já a palavra tem uma força e um poder que instiga e causa ações lentamente. Ela seduz e fisga o leitor vagarosamente. É impossível fugir de seu encanto, pois com a palavra, nós, profissionais da escrita, “prendemos” nosso leitores/vítimas. Apesar da suposta prisão, é por meio da palavra que criticamos, opinamos, refletimos os problemas e as soluções a respeito do mundo e da vida. Além disso, sem palavra não há vida.

Portanto, pode até ser que a censura tenha conseguido calar a palavra de Alcinéa, mas ainda teremos seu eco materializado na foto e nos inúmeros blogs que usam a palavra para criar e recriar a vida e a liberdade de expressão.

Um comentário:

O Arquiteto das Palavras disse...

É por essas e outras que eu também me mudei para o blogspot...

Feliz Aniversário!

Até o Google sabe que hoje é dia de festa! Feliz Aniversário! PS: A animação só aparece para mim, já que eu sou a aniversar...