quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Eu já li um Nobel de Literatura!

Observando atentamente a lista de ganhadores do Nobel de Literatura, descobri que nem todos são ilustres desconhecidos! E que alguns já foram até lidos! Embora algumas leituras tenham se perdido na memória...

Comecemos, então, pelos autores conhecidos. Isso não quer dizer que, um dia, eles não se tornem lidos!

Luigi Pirandello, autor italiano, escreveu peças de teatro, poemas e romances. Apesar de nunca ter lido nada dele, lembro-me vagamente ter visto a encenação de uma de suas peças. O problema é: qual texto?

W.B. Yeats foi poeta, dramaturgo e místico. Sei de sua obra, que nunca li, porque Jorge Luís Borges se referia muito ao escritor irlandês em seus textos.

Thomas Mann é alemão, mas sua mãe – Júlia da Silva Bruhns – era brasileira! Descobri isto num documentário sobre ela, que passou na TV Cultura há algum tempo. Seu livro mais conhecido é A Montanha Mágica (1924), porém foi com Os Buddenbrook (1901), que Mann ganhou repercussão e destaque.

Hermann Hesse, também alemão, mas se naturalizou suíço, em 1923. Seu romance mais famoso é O Lobo da Estepe (1927), lido e referido mais de uma vez por Clarice Lispector.

T. S. Elliot ou Thomas Stearns Eliot foi poeta modernista, dramaturgo e crítico literário. Já ouvi falar muito desse autor, contudo, nunca o li.

William Faulkner é um grande autor americano. Conheci sua obra numa palestra realizada em 2001, se não me engano. Segundo o professor que ministrou a palestra, cujo nome não me lembro, Faulkner vale a pena ser lido!

Ernest Miller Hemingway é autor de O velho e o mar (1940). Ele é conhecido também por ter morado em Cuba, após a Segunda Guerra Mundial. Além disso, ele é avô da atriz americana Mariel Hemingway, e sua obra, ou pelo menos um trecho, foi lida pelo anjo, papel de Nicolas Cage, no filme Cidade dos Anjos.

Jean-Paul Sartre, francês, que recusou o Nobel de Literatura. Companheiro de Simone de Beauvoir, Sartre é o pai do Existencialismo. Provavelmente já devo ter lido algum texto dele em algum passado bem distante!

Miguel Angel Astúrias, guatemalteco, tem vários textos como a novela Homens de Milho (1949). Quando se fala de realismo mágico, seu nome é sempre citado, já que suas obras focam tal estética.


Quanto aos lidos, alguns deles tenho até livro! Porém, devo avisar que de outros só li um texto, o suficiente para inclui-los na lista.

De Rudyard Kipling li apenas um poema chamado “Se”. Entretanto, só o descobri quando li “O ‘se’ de Kipling”, do poeta grego Kóstas Varnális. Os dois são bem interessantes. Recomendo a leitura de ambos!

Gabriela Mistral é poetisa chilena. Li pouca coisa dela, mas são poemas de temas variados, como amor, memórias pessoais. Detalhe importante: quando li Mistral, li no original!


Juan Ramón Jiménez é outro de língua espanhol que li no original. Seus textos são maravilhosos e falam de beleza e de natureza. Recomendo a leitura de qualquer poema de Jiménez começando pelo texto “Poema 5”, do livro Eternidades.

De Albert Camus só li O Estrangeiro. Foi a leitura mais rápida que já fiz. Deve ser por isso que não me lembro dele!

Samuel Beckett é irlandês e pai do teatro do absurdo. Já li alguns de seus poemas. Grande autor mesmo!

Pablo Neruda é maravilhoso! Descobri sua poesia no filme O Carteiro e o Poeta! Tenho alguns livros dele e recomendo qualquer um, pois esse autor chileno é sem sombra de dúvida, maravilhoso.

Gabriel García Márquez é colombiano e continua na ativa. Já li alguns contos dele e adorei. Ele faz uso do realismo mágico para contar suas histórias. Seu livro mais famoso é Cem Anos de Solidão. Há outras obras tão conhecidas quanto esta e algumas já viraram roteiros de cinema, como O Amor nos tempos do cólera e Ninguém escreve ao coronel. Recomendadissímo!

Camilo Jose Cela é espanhol e dele só li um livro: A família de Pascual Duarte. Porém, não pergunte sobre a história... ela simplesmente sumiu!

Octavio Paz é poeta mexicano. Assim como Gabriela Mistral, li poucos textos dele, mas são poemas lindos, com belas imagens, como em “Escrito con tinta verde”. Belíssimo!

José Saramago poderia entrar na lista dos autores ganhadores do Nobel que apenas conheço, mas que nunca foram lidos. Entretanto, já li uma parte de seu discurso quando ganhou o Nobel, em 1998. Tenho até curiosidade de ler seus romances sem pontuação, contudo falta-me tempo ou paciência para lê-lo? Agora sobre o discurso, ou parte dele, este sim é muito bom, como também polêmico!







Fonte de pesquisa: Wikipédia

Um comentário:

João Marcos disse...

Oi, Claudia!
Tudo bem?
Queria fazer um convit especial!
Na próxima quinta, dia 15, vai acontecer o lançamento do livro do Mendelévio em SP! Vai ser na Livraria HQ Mix, a partir das 19:30h. O endereço é praça Roosevelt, 142 - Centro. Seria muito bom ter você lá! Grande abraço!

Feliz Aniversário!

Até o Google sabe que hoje é dia de festa! Feliz Aniversário! PS: A animação só aparece para mim, já que eu sou a aniversar...